Plaza Hotel Mococa
MOCOCA - SP (10/08/2019-Sábado)
Depois de termos feito pela primeira vez o Caminho da fé a 9 anos atrás, era hora de retornarmos a ele. Dessa vez, escolhemos a cidade de Mococa-SP para iniciarmos a investida. Mas como embarcamos no ônibus das 10:30h na Rodoviária do Tietê (SP) e chegamos em Mococa somente às 15:20h, o nosso primeiro dia de pedal teria que ser adiado para o dia seguinte. Infelizmente somente conseguímos uma única credencial no Hotel e tivemos que adquirir a outra, pelo mesmo valor de R$ 20,00, na próxima cidade.

Ponte Euclides da Cunha
SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SP (11/08/2019-Domingo)
Em nosso primeiro cronograma da viagem, vislumbramos percorrer duas cidades por dia, o que daria uma média de 45 Km e chegarmos em Aparecida em 10 dias. Mas esse cronograma teve que ser alterado já de início, em virtude de não conseguirmos hospedagem no Dunha's Hotel nesse dia. Providencialmente ficamos na cidade e pernoitamos no Mosteiro São Bernardo, onde pudemos nesse pequeno espaço de tempo conviver com os monges e participarmos da oração do final da tarde, para no dia seguinte, após uma noite bem dormida, partirmos para o nosso próximo pernoite na Pousada Paina (São Roque da Fatura).




Igreja Matriz em São Sebastião da Grama
SÃO SEBASTIÃO DA GRAMA - SP (12/08/2019 - Segunda-feira)
Após algumas horas de pedalada chegamos na cidade a tempo de almoçarmos no Restaurante Família Forti, carimbar nossas credenciais, reabastecermo-nos de líquidos e partirmos para a estrada. Em virtude de nossa velocidade média não ser muito alta a escuridão da noite nos alcançou lá pelas 18:00h, devido a época do ano, mas sem grandes problemas pois nossas lanternas davam conta de iluminar a estrada e os poucos quilômetros que faltavam foram percorridos no asfalto e em declive, o que facilitou em muito nossa chegada na Pousada Paina (São Roque da Fatura).

Igreja Matriz em São Roque da Fartura
SÃO ROQUE DA FARTURA - SP (12/08/2019 - Segunda-feira)
Levantamos-nos razoavelmente cedo para aproveitarmos o frescor da manhã e percorremos os primeiros Km com facilidade. Tendo o relevo a nosso favor até a cidade de Águas da Prata, encontramos apenas alguma dificuldade para atravessar as porteiras trancadas com os alforjes carregados.



ÁGUAS DA PRATA - SP (13/08/2019 - Terça-feira)
Ficamos felizes em retornarmos à cidade e ainda mais, depois de todo esse tempo, reencontrarmos os donos da Padaria da Estação, com quem em nossa primeira visita nessa cidade, conversamos por um longo tempo.

ANDRADAS - MG (13/08/2019 - Terça-feira)
Escolhemos uma boa época do ano para realizarmos esse travessia, com a temperatura amena do final de inverno, não nos desgastávamos tanto como em outros períodos, mas a subida de Águas de Prata até a Pousada Pico do Gavião onde praticamente termina o aclive foram feitos com razoável esforço. Surpresa é quando se chega ao Andradas Palace Hotel, que já é um Hotel de "cidade grande", ser atendido com o maior carinho, tendo um lugar para guardar a bike no estacionamento, um andar só para peregrinos e um café da manhã "recheado" no dia seguinte.


SERRA DOS LIMA - MG (14/08/2019 - Quarta-feira)
Aqui temos que abrir um parênteses: depois de 9 anos muito coisa mudou no caminho, dos 300 peregrinos por ano, naquela época, para mais de 3 mil hoje, o trajeto teve algumas mudanças também, locais que outrora eram de terra hoje são asfaltados... mas nós também mudamos. Lembrávamos da difícil subida da Serra dos Limas, mas por mais que puxássemos na memória não conseguíamos lembrar se era asfaltada em 2010.

BARRA - TAGUÁ - CRISÓLIA - MG (14/08/2019 - Quarta-feira)
Rever Dona Natalina foi um outro momento especial, apesar de seu marido ter falecido em 2012, ela continua a ser a pessoa amável que encontramos na nossa primeira visita. Como muita gente tem a cidade de Águas da Prata como ponto de partida, encontrávamos vários caminhante e ciclistas durante o dia. Pernoitamos na Pousada Cabo Eloi que fica um pouco antes da Igreja Matriz de Crisólia, onde pudemos ter um "tanquinho e uma centrífuga" a nossa disposição, sem nos cobrarem nada a mais por isso, para lavarmos nossas roupas. O sol do final de tarde fez o resto para alegria de dois ciclistas (e muitos outros peregrinos).

OURO FINO - (15/08/2019 - Quinta-feira)
Agora era procurar a próxima seta amarela e continuar o caminho, passar por Ouro Fino, tirar algumas fotos dos monumentos gigantes da cidade e partir em direção a Inconfidentes e Borda da Mata.




Livro de registro de peregrinos (Bar do Maurão)
INCONFIDENTES - MG (15/08/2019 - Quinta-feira)
Terra do crochê. É só olhar as árvores enfeitadas e as diversas lojinhas que qualquer passante entenderá o por quê. Aí vale fazer uma comprinha e levar qualquer uma das maravilhas de bom gosto. Carimbamos nossas credenciais no Bar do Maurão que fez questão de pegar o livro que assinamos de recordação em 2010, onde marcava nossa passagem por lá no dia 18/10/2010. 

"Porteira do Céu", não dá para subir mais.
BORDA DA MATA - MG (15/08/2019 - Quinta-feira)
Mais 21 km e estávamos no nosso destino nesse dia. Apesar de ficarmos na área central (Hotel Village) foi um pouco difícil de conseguir jantar, um dos restaurantes fica na rodovia e o outro que nos indicaram só abriria as 19:00h. Como queríamos nos recolher cedo optamos por comer alguns salgados na Pastelaria da Praça e um gostoso sorvete com três enormes bolas na sorveteria próxima.

TOCOS DO MOJI - MG (16/08/2019 - Sexta-feira)
Após uma subida íngreme nesse dia (só para de subir na "Porteira do Céu") onde várias ciclistas nos ultrapassavam chegamos a Tocos do Moji para degustar um pastel de milho e um sanduíche de linguiça com queijo e ovo saboroso na Pastelaria do Zé Bastião. Após essa parada estratégica e concorrida, pois enquanto estávamos lá não parou de chegar mais ciclistas e caminhantes, seguimos  até Estiva para pernoite.

ESTIVA - MG (16/08/2019 - Sexta-feira)
Nos relataram que alguns ciclistas chegam a fazer mais de 80 km num único dia, o que para nós se torna inviável devido ao esforço desprendido e o motivo porque fazemos a viagem. A Pousada Poka esta bem situada junto a Praça da Igreja Matriz e além de disponibilizar uma garagem com corrente e cadeado para guardar a bike em segurança tem o restaurante da padaria no térreo que não poderia estar melhor posicionado (serve refeição a noite).

CONSOLAÇÃO - MG (17/08/2019 - Sábado)
Tivemos que rever nossos planos na noite anterior, pois não conseguiríamos chegar a Aparecida como pretendíamos em 10 dias e não dispúnhamos de mais tempo para fazê-lo. Chegar até a cidade de Luminosa não seria viável, para retornar dali para São Paulo-SP, então resolvemos chegar apenas até Paraisópolis e retornar no domingo, o que nos facilitaria a volta, em virtude de ser permitido colocar as bikes no metrô nesse dia, o que não ocorre numa segunda-feira tumultuada na Capital. Em Consolação ficamos apenas o tempo suficiente para comermos alguma coisa no mercadinho da praça, nos reabastecermos de água e continuar a travessia para Paraisópolis.


Igreja Matriz em Paraisópolis
PARAISÓPOLIS - MG (17/08/2019 - Sábado)
Um pouco do cansaço acumulado durante a semana já se manifestava e mesmo não sendo o que pretendíamos quando saímos de SP, nos dirigimos a Rodoviária da cidade logo que chegamos, mais para nossa surpresa, a venda de passagens se encerra às 16:10h, sendo-nos informado que a compra poderia ser efetuada no dia seguinte as 7:50h para o ônibus que sairia as 8:10h, o que realmente aconteceu e pudemos retornar tranquilamente após mais de quatro horas de deslocamento.




Ver álbum de fotos



Plaza Hotel Mococa MOCOCA - SP (10/08/2019-Sábado) Depois de termos feito pela primeira vez o Caminho da fé a 9 anos atrás, era hora de ...


CIRCUITO VALE EUROPEU

 21 a 27 DEZ 2018

Saída em Timbó
O final do ano de 2018 não poderia passar sem um "pedal". A princípio tínhamos pensado em fazer o Guia de Cicloturismo - Circuitos do Sul, do Antonio Olinto e Rafaela Asprino, mas o calor do mês de dezembro e a altimetria do percurso nos "venceu" momentaneamente.

A segunda opção foi o Circuito Vale Europeu que também é comentado no mesmo guia. Já conhecíamos o Circuito há anos dos comentários nos encontros do Clube de Cicloturismo do Brasil em Campos do Jordão. Bem, ... chegou a hora de conhecê-lo pessoalmente.

Igreja em Apiúna
Entrei no site do Circuito e tentei pegar informações para planejar a viagem, apesar de ter bastante informações ali, as planilhas me despertaram algum receio, pois não eram tão detalhadas como as utilizadas em outros guias que estávamos acostumados a utilizar.

Supondo que as pousadas/hotéis no mês de dezembro teriam uma procura maior, reservei as hospedagem de antemão, o que deu um pouco de trabalho para descobrir pelo Maps as que ficavam mais perto do final do pedal diário ou início do outro dia.

Caminho dos Anjos
Passagens compradas no ônibus duplo da Viação Catarinense, lá íamos nós na noite de 20 DEZ 18 para Timbó-SC local de início e término do viagem. (O Circuito faz um grande círculo de 300 km)

Após 12hs de viagem estávamos na Rodoviária de Timbo-SC, um tanto distante do centro da cidade e do Restaurante Tapyoca, onde indicamos no site ao fazermos nossas inscrições, com local para retirarmos as credenciais do circuito, o mapa, a planilha e pagarmos a taxa de inscrição.

Bicicleta de madeira gigante
As dúvidas que ainda persistiam sobre o direcionamento do percurso se esvaneceram quando atravessamos a rua e dobramos à esquerda quando encontramos a primeira seta amarela, depois outra na próxima mudança de direção e, assim, sucessivamente. As setas estão muito bem posicionadas em pontos estratégicos, diria mesmo que um cicloturista atento não precisaria nem da planilha para fazer todo o Circuito.

Aqui faço uma observação: Qual a melhor época para percorrer o Circuito? Acredito que não seja nos meses mais quentes do ano. A temperatura nesses dias não abaixou de 30º, chegando mesmo aos 36º, 38º debaixo de sol forte e sem sombra. A quase totalidade do trajeto é feito por estradas de terra sem nenhuma proteção do sol.

CRONOGRAMA

1º Dia: Timbó - Pomerode (21/12/2018);
distância da planilha: 43,1 km (Obs: na indicação no final da planilha você encontra "Cruze a ponte (aqui termina o primeiro dia)". ai você se pergunta, "Aonde fica o hotel? A mais ou menos 5 km do final do primeiro dia); pernoite: Pousada Max (47) 3387-3070

2º Dia: Pomerode - Indaial (22/12/2018);
distância da planilha: 40,2 km
Aqui a mesma coisa do dia anterior, você ira pedalar mais alguns km até o hotel. Mas vale o esforço, será bem atendido e o café da manhã seguinte é "recheado"; pernoite: Hotel Fink (47) 3333-3703

3º Dia: Indaial - Rodeio (23/12/2018);
distância da planilha: 26,7 km; pernoite: Cama e Café Stolf (47) 3384-1498 (Não recomendamos Hostel nessa cidade)

4º Dia: Rodeio - Dr. Pedrinho (24/12/2018)
distância da planilha: 41 km; pernoite: Hotel Dona Hilda (47) 3388-0103

5º Dia: Dr. Pedrinho - Alto Cedros (25/12/2018);
distância da planilha: 33,8 km; pernoite: Pousada Família Duwe (47) 6057-5581
A escolha dessa hospedagem se mostrou por demais agradável, o Sr. Raulino, muito atencioso com seus hóspedes, faz a travessia de barco a remo de um lado da represa para a sua propriedade, na margem oposta com as melhores recomendações para uma total segurança. Além de falar com toda amabilidade do mundo. Tudo ali é um "luxo" para cicloturistas: comida gostosa, conversa hospitaleira, e até ... levar os alforjes para a próxima cidade e pedalar descarregado.

6º Dia: Alto Cedros - Palmeiras (26/12/2018);
distância da planilha: 46 km; pernoite: Mercado e Pousada Palmeiras
Aqui eu imaginava que estaria numa represa isolada da "civilização", engano meu. Praia de veranistas de cidades próximas como Timbó. Marina para barcos, Jet-Ski e movimento de carros te fazem esquecer o isolamento, apesar de não tirarem a tranquilidade. Todo mundo se recolhe cedo por essas bandas e ao por-do-sol o silêncio retorna.

7º Dia: Palmeiras - Timbó (27/12/2018);
distância da planilha: 53 km. Apesar da quilometragem ser a maior de todo o percurso, a perda de elevação é grande; pernoite: Iris Hotel

Veja o álbum de fotos.

CIRCUITO VALE EUROPEU  21 a 27 DEZ 2018 Saída em Timbó O final do ano de 2018 não poderia passar sem um "pedal". A pri...

DIÁRIO DE UMA PASSAGEM POR PIUMHI - MG

Uma viagem para a cidade de Piumhi em Minas Gerais, mesmo que de curta duração (2 dias) já dá para perceber os encantos da região.
Igreja Nossa Sra do Livramento

A ideia era, nessa primeira "investida", conhecer um pouco da cidade e seu entorno, para, numa segunda visita, desfrutar melhor de seus atrativos.

O ônibus da Expresso União saindo do Terminal Rodoviário do Tietê (São Paulo-SP) não impôs qualquer restrição ao transporte da bike (embrulhada como de costume) e o motorista, muito cordial, tornou as 8 horas de viagem, menos cansativas (ele faz apenas uma parada de 20 min).

Como já tinha uma pousada reservada com antecedência  (Pousada Catalu), não me preocupei em procurar uma, entre tantas que existem na cidade e minha escolha se mostrou providencial (coisa mesmo da "Providência"). O Sr. Will me recebeu com toda amabilidade possível, indicando o quarto reservado. Logo na sala de entrada já dá para perceber o carinho com que cuida da Pousada recentemente inaugurada (2017). Conversando com ele, descobri que ele próprio fabricou os móveis com "Paletes" e carretéis de madeira, tanto dali quando da cozinha, que prima pela decoração.
Sala de estar da Pousada Catalu

Naquela tarde de quinta-feira (23/08/2018) já sentia que minha estadia naquela cidade seria das mais agradáveis. Mas no momento o que mais queria é uma boa janta, já que não tive oportunidade de almoçar na viagem. Perguntando ao Sr. Will onde poderia fazê-lo, o mesmo indicou o "Restaurante do Ticão", que ficava a +/- 1,5km do local. Por incrível que pareça, somente com essas indicações e sem conhecer a cidade, cai quase que direto na porta do restaurante, o qual serve as refeições num fogão da lenha, habitualmente a partir das 18:30h. Comida gostosa e variada, diga-se de passagem.

Agora era voltar para a Pousada, tomar um banho e ter uma noite de sono tranquila e reparadora.

Na manhã seguinte pude conhecer a Sra. Denise, que já preparava o café da manhã, pessoa amável e carinhosa, faz de tudo para agradar os hóspedes, nesse caso, o único. Conversando como eles pude perceber porque no momento desfrutava de toda a tranquilidade que mais desejava. A cidade de Piumhi não tem tantas cachoeiras quanto a cidade vizinha de Capitólio, o atrativo maior são os queijos e outros quitutes mineiros que podemos comprar em inúmeros locais na cidade. Mas Capitólio não tem acomodações suficientes para absorver a quantidade enorme de turistas de todas as partes do país que "desaguam" na região para ver as cachoeiras.
Foto da sala da Pousada Catalu

Conversa farta, tanto quanto o café da manhã, com os proprietários!

Mas um cicloturista não pode passar por um lugar sem dar uma "pedalada", por isso os planos do dia eram conhecer a Cachoeira e o mirante da Belinha (distante 5 km) e um pouco da região. Novamente o Sr. Will foi certeiro na informação e consegui chegar ao local sem maiores problemas. Segui a estrada de terra por 20 km, apesar de subidas fortes, mas pedaláveis, com exceção de uma ou outra na qual o chão estava crivado de brita, que dificultava a aderência da roda e a segurança. Quando atingi o topo de uma das montanhas mais altas da região (1.200m) não tive como não parar por um longo tempo e apreciar a vista do local. Era gratificante estar ali e apreciar o horizonte longínquo. Ao chegar numa área de reflorestamento de Eucalipto, com diversas bifurcações na qual o GPS já não indicava qualquer "estrada", resolvi que era hora de retornar, já que sem uma planilha como de costume e um destino pré fixado, poderia ter que pedalar muito mais do que o esperado.

No retorno à Pousada não pude deixar de comprar alguns queijos para levar na viagem da manhã do dia seguinte para São Paulo-SP.

Difícil é não sentir saudades de gente tão hospitaleira como o Sr. Will e a Sra. Denise, da Pousada Catalu.

Retornarei com certeza para Conhecer o Parque da Serra da Canastra, as Cachoeiras de Capitólio, e outras belezas da região.

Pensamento do dia:

O que é ser um cicloturista?

Alguém persistente para vencer dificuldades e chegar ao destino?
Alguém destemido, que venceu seus medos, incertezas e não desanima com a altimetria do terreno?
Alguém que se sente realizado com a vista do horizonte longínquo e o momento presente, com a simples cama de uma pousada ou uma gentileza inesperada?
Acho que tudo isso junto!

Obs:
- passagens de ônibus executivo Expresso União (São Paulo - Piumhi, horário das 8:00h) R$ 148,13 (23/08/2018), volta (25/08/2018) R$ 144,75. Em outros horários é disponibilizado ônibus normal com valores mais em conta.

Todas as fotos:
LINK PARA AS FOTOS



DIÁRIO DE UMA PASSAGEM POR PIUMHI - MG Uma viagem para a cidade de Piumhi em Minas Gerais, mesmo que de curta duração (2 dias) já dá para...